Lunes, 14 de julio de 2008

 

Acervo de Hilda Persiani

 

 
 

 

 
Belles Nuits...
Marilena Trujillo

São belas as nossas noites...
Anjos nos levam pela imensidão,
Safiras fulguram em nosso olhar,
Cheios de amor, ternura e paixão...

Vamos escrevendo a nossa história,
Levados pelas mãos da doce emoção,
Nada é proibido... - Tudo é permitido,
 Na nossa imensa e sublime adoração...

Não há harmonia mais perfeita,
 Que seu corpo amado ao meu colado,
Sem qualquer distância ou espaço...
Na junção do desvario abençoado.

A Vida vai fluindo em nossas veias...
Em cada carícia, na pele quente e nua.
Loucura é o nosso verbo conjugado...
Minha boca sedenta, fundida à sua...

Mil estrelas e cometas cintilam...
Enfeitando o céu de lado a lado...
Felizes... adormecemos abraçados...
Enquanto o sol nos mira pelo cortinado.

São belas as nossas noites...
Sem juiz, testemunha ou culpado...
Apenas um homem e uma mulher...
Cometendo o mais lindo pecado!...
Mary Trujillo
09.03.2006

Belles Nuits...
Marilena Trujillo


Son bellas nuestras noches...
Ángeles nos llevan por la inmensidad,
Zafiras fulguran en nuestra mirada,
Llenos de amor, ternura y pasión...

Vamos escribiendo nuestra historia,
Llevados por las manos de la dulce emoción,
Nada es prohibido... - Todo es permitido,
En nuestra inmensa y sublime adoración...

No hay armonía más perfecta,
Que tu cuerpo amado al mío pegado,
Sin cualquier distancia o espacio...
En la junción del desvarío bendecido.

La Vida va fluyendo en nuestras venas...
En cada caricia, en la piel caliente y desnuda.
Locura es  nuestro verbo conjugado...
Mi boca sedienta, junto a la tuya...

Mil estrellas y cometas brillan...
Adornando el cielo de lado a lado...
Felices... adormecemos abrazados...
Mientras el sol nos mira por el cortinado.

Son bellas nuestras noches...
Sin juicio, testigo o culpado...
Sólo un hombre  y una mujer...
¡Cometiendo el más lindo pecado!...
Mary Trujillo
09.03.2006

Respete los derechos del autor
 
Não Autorizo Duetos

Versión en Español: David Yauri

 

Canto Mágico de Marilena Trujillo
www.maritrujillo.com
 
Blog:
Magia Cigana Mary Trujillo
 
 
 
AVPB - Academia Virtual Poética do Brasil
http://www.avpb.olga.kapatti.nom.br/
 
AVESP -  Academia Virtual
Sala de Poetas & Escritores
 
 
 
 
Formatação & art  Mary Trujillo

 

A Amazona
Cícero Mendes
( * 08/03/1888 - + ? )
 
 
Abrasada entre as chamas de um vestido
Vermelho, como as púrpuras da aurora,
Monta a cavalo, mal o sol nascido
Derrama tintas pelo espaço em fora ...
 
Rédeas ao seu corcel, que é destemido,
Fere-o, garbosa, à cintilante espora ...
E abala! num galope desabrido,
Pela floresta rútila, sonora ...
 
Ei-la, a surdir na crista da paisagem,
A galopar, gloriosa, ---  o perfil loiro,
De uma beleza plástica , selvagem ...
 
Ao vê-la, não se sabe,  se o arrebol
Nasce do sol dos seus cabelos de oiro,
Ou se ela nasce do esplendor do sol !...
 
 
Cícero de Oliveira Mendes nasceu na cidade de Valença, Bahia, aos 3 de março de 1888.
                                            Faleceu em 2 de março de 1938 . Bib. :- " Brumas" , Rio 1926; " Sinfonia dos Seios" Bahia, 1937.
 Deixou inéditos: " Rítmos da Rua " e Mata Agreste ", ambos de poesia.
 
HHHilda Persiani
 
 

 

  

 

 


Tags: BELLAS, noches, nuestras, pecado, amado, boca sedienta

Publicado por ChemaRubioV @ 9:51  | POESIA
Comentarios (0)  | Enviar
Comentarios